Get Adobe Flash player

RH e Departamento Pessoal

Para facilitar a adequação das companhias ao eSocial – projeto que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados – o Governo Federal lançou no dia 27 de dezembro de 2013 uma nova versão do manual de orientação do eSocial com modificações consideráveis. Em relação a versão anterior alguns arquivos foram eliminados e outros incluídos, além de alteração nos campos. Assim, serão agora 44 arquivos, somando 1.675 campos que deverão ser preenchidos pelas empresas.

Um estudo realizado pelo Grupo Employer, especializado em soluções para o RH, revela que para se adequar as exigências será necessário o esforço de diferentes setores da companhia, e não apenas do Recursos Humanos, como muitos imaginam.

O levantamento revela que o RH, de fato, fica no topo da lista das responsabilidades, com 53% dos esforços centralizados neste setor. No entanto, o departamento Financeiro será responsável por 19% dos dados necessários, enquanto a área de Cadastro (um departamento ou pessoas que realizam a inclusão dos dados cadastrais da empresa ou de novas empresas) deve concentrar 9% dos esforços de trabalho. Os departamentos Contábil/Fiscal (8%), Medicina do Trabalho (6%) e Jurídico (5%) também deverão participar.

Calendário oficial de feriados em 2014

Diário Oficial da União, estabelece o calendário oficial de feriados   para os órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta,   autárquica e fundacional do Poder Executivo, sem prejuízo da prestação   dos serviços considerados essenciais.
          As demais datas, este ano, serão em fins de semana. A portaria não   estabelece se nos dias dos jogos da Copa do Mundo, entre 12 de junho e   13 de julho, em 11 capitais e no Distrito Federal, os expedientes serão   suspensos.

São feriados nacionais, em 2014, as seguintes datas:

1º de janeiro – Confraternização Universal (quarta-feira)          

18 de abril – Paixão de Cristo (sexta-feira)          

21 de abril – Tiradentes (segunda-feira)          

1º de maio – Dia do Trabalho (quinta-feira)          

7 de setembro – Dia da Independência (domingo)          

12 de outubro – Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil (domingo)          

2 de novembro – Dia de Finados (domingo)          

15 de novembro – Proclamação da República (sábado)          

25 de dezembro – Natal (quinta-feira)

São considerados pontos facultativos os dias:

3 de março – segunda-feira de carnaval          

4 de março – terça-feira de carnaval          

5 de março – Quarta-Feira de Cinzas (até as 14h)          

19 de junho – Corpus Christi (quinta-feira)          

28 de outubro – Dia do Servidor Público (terça-feira)          

24 de dezembro – véspera da Natal (a partir das 14h)          

31 de dezembro – véspera de Ano-Novo (a partir das 14h)

          Além desses, as datas comemorativas de credos e religiões, de caráter   local ou regional, podem ser respeitadas, mediante autorização da chefia   imediata do trabalho do servidor, para posterior compensação. Caberão   aos dirigentes dos órgãos e entidades a preservação e o funcionamento   dos serviços essenciais afetos às respectivas áreas de competência.

“A criatividade está no trabalho do cientista, como no do artista; do pensador e do esteta; sem esquecer os capitães da tecnologia moderna, e o relacionamento normal entre mãe e filho” (Rollo May em “A coragem de criar”).

Inovação é a palavra do momento. A tendência é que só as organizações inovadoras devem se manter no mercado. É necessário criar necessidades, produtos, processos mais eficientes e soluções para probleminhas cotidianos. Para tudo isso é preciso criatividade, palavra de ordem quando o assunto é a famosa inovação. De acordo com Lívia Brandão, professora de cursos de Gestão de Pessoas do IEC, psicóloga e mestre em Engenharia de Produção, a criatividade está relacionada à busca de alternativas para uma situação em que as respostas convencionais já não bastam para solucioná-la. Assim, a criação pode estar associada a qualquer área de atuação, não apenas às clássicas publicidade, design, comunicação, arquitetura etc.

A professora explica ainda que existem três tipos de criatividade: genial, autêntica e cotidiana. A primeira pode ser representada pelas invenções; a segunda é a que as pessoas demonstram quando criam, inovam, ou melhoram produtos e serviços, utilizando-se de suas competências e, a última, é quando as pessoas solucionam situações cotidianas.

“Sem dúvida, o mercado precisa de profissionais, primeiramente, capazes de identificar os problemas que precisam ser resolvidos e, a partir daí, propor soluções que funcionem”, ressalta a professora Renata Alencar, coordenadora da pós-graduação em Processos Criativos em Palavra e Imagem, do IEC. Ela esclarece que as práticas criativas são catalisadoras da inovação e que o profissional a se destacar será aquele com potencial para a inovação, que desenvolveu suas habilidades criativas.

A criatividade é considerada uma faculdade da inteligência, assim pode ser desenvolvida, exercitada e estimulada. Para isso, a coordenadora sugere que as pessoas aumentem seu repertório estético e técnico, se cerquem de informações em múltiplas versões e busquem o exercício da associação, de maneira humanizada. A professora Lívia completa que é importante se permitir a ousadia, o questionamento, a imaginação e a descontração no ambiente de trabalho, além disso, as pessoas podem ocupar-se com atividades e hobbies que estimulem o pensamento diferenciado e divergente, tentar ver as situações sob vários prismas e ouvir pontos-de-vista diferentes.

Porém, apesar da importância da criatividade, Lívia ressalta que “as organizações e seus profissionais devem analisar quando se quer, se pode e se deve dar asas à imaginação”, uma vez que alguns processos precisam de exatidão. Exceto nestes casos, a criatividade é benvinda e para exercitá-la os profissionais precisam aprender a pensar “por que não?”.

Dicas de Leitura:

– O jeito mais eficiente de ser criativo

10 frases de homens de negócios sobre inovação

– MASI, Dominique de. Criatividade e grupos criativos: fantasia e concretude. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.

– OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. 21 ed. Petrópolis: Vozes, 2007. 187 p.

– May, Rollo. A coragem de criar.Riuo de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

Salário-Mínimo será de R$ 678,00 mensais a partir de janeiro/2013

Foi publicado na Edição Extra, do Diário Oficial do dia 26-12-2012, o Decreto 7.872, de 26-12-2012, que fixa, a partir de 1-1-2013, o novo valor do salário-mínimo mensal em R$ 678,00. O valor diário passa a ser de R$ 22,60 e o horário de R$ 3,08.

Imagens de animais não servem apenas para relaxar, mas podem ajudar a render mais no trabalho. O estudo vem de um dos países com as jornadas de trabalho mais longas do mundo, o Japão, então merece crédito. Segundo pesquisa da Universidade de Hiroshima, manter uma foto de um animal, de preferência filhote de cachorro ou de gato, ajuda a trabalhar com mais afinco. As informações são do Daily Mail.

Olhar para animais filhotes aumenta a concentração em até 10% e também a performance. Os especialistas acreditam que olhar para algo fofo desperta emoções positivas que geram motivação, associada com tudo que traz felicidade, alegria ou diversão.

Para chegar aos resultados, foram analisados três grupos de estudantes, expostos a fotos de animais filhotes, animais adultos e de comidas saborosas. Depois os voluntários foram submetidos a testes de concentração e o primeiro alcançou resultados melhores do que os demais.

O grupo que ficou visualizando imagens dos animais adultos demonstraram concentração 5% maior. E as imagens de comida não surtiram efeito.

“O estudo mostra que olhar para coisas bonitinhas aumenta a performance em tarefas que requerem atenção, possivelmente por ajudar a focar atenção em apenas uma coisa. Não tem influência sobre tarefas que demandam interação social. Fotos de filhotes fazem com que os objetos pareçam mais amigáveis e induzem a comportamentos mais cuidadosos, o que beneficia principalmente funções como dirigir e outras no escritório”, afirmou Hiroshi Nittono, um dos autores do estudo.

Fonte: http://mulher.terra.com.br/carreira/quer-render-mais-no-trabalho-fique-olhando-fotos-de-animais,1688158ca613a310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Abono Salarial é liberado anualmente aos trabalhadores cadastrados no PIS que cumpram os requisitos previstos em lei. O pagamento é efetuado conforme cronograma estabelecido pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador e divulgado pela CAIXA.

Para maiores informações, acesse o site da Caixa (Clique Aqui)

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), no Artigo número 473, cita nove casos em que a ausência do trabalhador deve ser abonada, ou seja, o empregador tem de pagar pelo(s) dia(s) não trabalhado(s). São eles:em caso de falecimento do cônjuge, ascendentes (pais, avós etc.), descendentes (filhos, netos etc.), irmãos ou pessoas que, declaradas em documento, vivam sob dependência econômica do empregado – é permitida a falta em até dois (2) dias consecutivos;na ocasião do casamento do empregado – é permitido faltar por três (3) dias seguidos;no decorrer da primeira semana do nascimento de filho – a falta é permitida por cinco (5) dias;em caso de doação voluntária de sangue, devidamente comprovada – por um (1) dia em cada doze (12) meses de trabalho;para se alistar como eleitor, nos termos da lei respectiva – até dois (2) dias, consecutivos ou não;quando o empregado tiver de se apresentar ao órgão de seleção do serviço militar obrigatório ou cumprir demais exigências para o alistamento, também poderá faltar, conforme a letra “c” do Artigo 65 da Lei nº 4.375, de 17 de agosto de 1964 (Lei do Serviço Militar). Neste caso, a comprovação deve ser fornecida pelo respectivo órgão;nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior;quando o empregado for arrolado ou convocado para comparecer à Justiça como testemunha poderá faltar as horas que forem necessárias;e, a partir de 12.05.2006, por força da Lei 11.304/2006, pelo tempo que se fizer necessário, quando, na qualidade de representante de entidade sindical, o trabalhador estiver participando de reunião oficial de organismo internacional do qual o Brasil seja membro.